Notícias

DOP e IGS: o que são e para que servem

Queijo Serra da Estrela DOP, Pêra Rocha do Oeste DOP… sabe o que significa esta sigla? E outra menos conhecida, a IGS, já ouviu falar? Estas denominações estão relacionadas com o local onde um produto é feito, mas, ao contrário do que se possa pensar, não há produtos DOP, nem produtos IGS. Fique a saber porquê e como nos próximos parágrafos.

DOP e IGS

Definição das DOP e IGS

Começando pelo que significam: DOP significa Denominação de Origem Controlada; IGS diz respeito à Indicação Geográfica Protegida. Estas são instrumentos de Propriedade Intelectual, tais como o são as patentes e as marcas.

Estas servem para proteger a definição geográfica de um tipo de produto (mas não de um produto específico).

Passamos a explicar: por exemplo, podemos falar do ‘Azeite de Trás-os-Montes DOP’, como um nome geral para azeites que foram produzidos em Trás-os-Montes, com determinadas características: clima, solo, espécie de oliveira e processo de produção associado à região.

Esta qualificação ajuda a distinguir estes azeites dos demais, servindo de “selo” de qualidade.

Outro exemplo, para se perceber como é o nome geográfico que está protegido: pode-se apresentar ‘Ameixa d’Elvas DOP’ mas não “Ameixa de Elvas DOP”.

Vantagens das DOP e IGS

Apesar da localização do nome ser o que tem valor legal (Alentejo, Serra da Estrela, etc.), existem símbolos, e selos, para as denominações DOP e IGS, que trazem destaque aos produtos. Estes não só informam os consumidores, mas trazem também reconhecimento, e, com este, um preço ligeiramente mais elevado.

Pode encontrar toda a informação técnica no site da Qualifica Portugal, caso queira saber mais.

Produtos alimentares com DOP e IGS

Se ainda ficou com alguma questão, o melhor é mesmo começar por provar alguns produtos com esta denominação. Queijos com ‘Queijo da Beira Baixa DOP‘, azeites com ‘Azeite Ródão DOP’, e outros que tal, em SmartFarmer.pt

 

 

20 de Maio de 2021

Back to list

Related Posts