Receitas

Pataniscas de curgete e funcho

pataniscas de curgete

Quem não tinha saudades da nossa rubrica semanal ‘receita da semana’? A equipa do Smartfarmer já tinha e por isso temos uma nova receita para que possa tirar partido da curgete do cabaz desta semana da melhor forma.

O Cabaz ‘Frescos da Semana’ vem recheado de frutas e legumes selecionados com muito amor e carinho. Pode receber o cabaz em casa, diretamente da horta à sua porta, ou levantar nos nossos pontos de recolha. A sua encomenda faz a felicidade dos pequenos produtores nacionais. ❤️

Para conhecer a composição do cabaz ‘frescos da semana’ consulte este link: https://smartfarmer.pt/produto/cabaz-frescos-da-semana/

 

Conheça o alimento: A curgete

A curgete é um ‘legume’ fruto dos descobrimentos, nutritiva e com vários benefícios para a saúde mas também saborosa e de variadas utilizações.

Pertence à família das cucurbitáceas, é um fruto, apesar de vulgarmente conhecida e tratada como legume.

Pode atingir quase 1 metro de comprimento mas é usualmente colhida enquanto não está totalmente madura, entre os 15 e os 25 cm.

As variedades mais comuns distinguem-se pela forma cilíndrica, pele fina, mole, de cor verde-escuro e polpa verde-esbranquiçado. Podem-se encontrar curgetes com outro aspeto, como circulares ou com cores do amarelo ao quase preto.

 

Benefícios

Os estudos que dizem respeito aos benefícios da curgete salientam a sua capacidade antioxidante, o seu baixo valor calórico, e os seus valores de hidratos de carbono, fibra e proteína.

Por ser uma excelente fonte de vitaminas e minerais, tais como: vitamina A, vitamina C e magnésio, a curgete fornece uma boa combinação de nutrientes que ajudam na proteção dos olhos.

Para além das suas propriedades antioxidantes, a curgete também apresenta outros nutrientes que a fazem um alimento benéfico na regulação do açúcar no sangue e na proteção contra o desenvolvimento de diabetes tipos 2.

Já as suas sementes, e o óleo que delas é extraído, apresenta propriedades antimicrobianas.

 

História

Com origem na Mesoamérica, onde é consumida há milhares de anos, é um dos vários legumes que foi trazido para o ‘Velho Mundo’ por Cristóvão Colombo e foi introduzido na alimentação europeia, no entanto, a curgete como é conhecida hoje, só foi desenvolvida muito mais tarde, em Itália, onde se tornou num legume de referência da sua gastronomia.

A curgete difundiu-se pela europa, tornando-se num elemento que pode ser encontrado em receitas de cozinha mediterrânica, eslava ou turca.

 

Época

É de maio a julho que a curgete se encontra dentro de sua época, contudo, pode ser adquirida em qualquer altura do ano.

A casca não deverá estar demasiado rija, se estiver, poderá significar que se apresenta madura demais.

O tamanho também pode ser útil para revelar a sua qualidade, devendo-se optar pelas que apresentem um tamanho médio, uma vez que as que são excessivamente grandes ou pequenas podem ser fibrosas e menos saborosas.

 

Conservar

Em temperatura de refrigeração, aguenta por volta de uma semana sem perder as suas características.

 

Utilizações

A curgete pode ser utilizada em várias preparações culinárias e é um alimento utilizado em receitas de diferentes culturas gastronómicas.

De sabor delicado, quase adocicado, pode ser confecionada na frigideira, cozida, assada, estufada, em salteados, sopas, molhos, crua e entre outros tipos de confeção.

As suas flores podem ser recheadas, ou envolvidas em polme e fritas.

A versatilidade da curgete poderá facilitar o processo criativo associado ao ato de cozinhar.

 

Receita de Pataniscas de curgete e funcho

Ingredientes:

1 bolbo de funcho; 2 curgete; 1 cebola; 1 dente de alho; 10 gr de salsa; 3 ovos; 20 gr de farinha; sal q.b; pimenta q.b; óleo vegetal q.b

Preparação:

Descasca-se a cebola e o alho. Pica-se a curgete sem lhe retirar a casca, a cebola e o alho. Corta-se o funcho em juliana fina e junta-se aos anteriores numa tigela. Adiciona-se a salsa previamente picada, a farinha e os ovos. Tempera-se o preparado com sal e pimenta e mistura-se bem. Coloca-se o óleo na frigideira e deixa-se aquecer, quando estiver quente, colocam-se ‘colheradas’ da mistura no óleo e deixa-se fritar até as pataniscas se apresentarem douradas. A medida que fritam, deixam-se a escorrer em papel absorvente e de seguida podem se servir.

Back to list