Histórias

Alimentação: fazemos escolhas conscientes?

A forma como produzimos e consumimos os nossos alimentos tem contribuído para muitos dos problemas ambientais (e sociais) existentes. Escolher, de forma consciente, o que queremos para nos alimentar é cada vez mais importante.

Os hábitos e práticas alimentares dos portugueses mudaram muito nas últimas décadas.  Houve mudanças muito positivas se compararmos as práticas e hábitos alimentares durante a vigência da ditadura do Estado Novo, onde a pobreza e a falta de alimentos eram problemas preocupantes, com a abundância e variedade do Regime Democrático. Porém, existem agora problemas muito sérios, como, por exemplo, o desperdício alimentar e as doenças provocadas pela má alimentação. É importante refletirmos sobre estes problemas, e o consumo consciente pode fazer parte da solução.

O consumo responsável e as suas vantagens

O consumo responsável reflete um consumidor informado, preocupado com a sustentabilidade e consciente de que os hábitos de compras devem ter em conta vários aspetos. Devemos olhar para o consumo responsável como um compromisso para com as gerações futuras, contribuindo para que as comunidades se tornem sustentáveis, socialmente justas e inclusivas, com uma economia local forte e viável.

Uma das formas mais eficazes de consumir alimentos de forma responsável e consciente é comprar em feiras, mercados e diretamente ao produtor. Segundo o Inquérito sobre Sustentabilidade realizado em Portugal, no inquérito de 2018 em comparação com o de 2016, verificou-se uma maior tendência de utilização de feiras e mercados, de compras diretas ao produtor e maior uso da internet – o que indica um aumento do consumo de cabazes encomendados online. São várias as vantagens de comprar a pequenos e médios produtores locais, que começam com a qualidade dos produtos, mas que vão muito mais além disso:

  • A proximidade e as cadeias curtas de abastecimento são amigas do ambiente, porque reduzem a poluição, as emissões de CO2, e o consumo de energia;
  • A produção local preserva o campo porque contribui para o desenvolvimento das zonas rurais e agrícolas;
  • Os produtos locais são bons para a saúde do consumidor, porque viajam menos, chegam mais frescos à sua mesa e requerem menos conservantes;
  • Os alimentos produzidos localmente são sazonais, e por este motivo promovem a variedade na dieta e garantem uma maior qualidade dos nutrientes e características organoléticas;
  • Os produtos locais ajudam a economia local a crescer e a produção local favorece a preservação e o desenvolvimento de técnicas locais, culturas e produtos típicos locais, que de outra forma correriam o risco de desaparecer;
  •   A compra de produtos locais encoraja os produtores, mesmo os mais pequenos, a não abandonar o território.

Comércio online solidário e sustentável

O Smartfarmer é um negócio social da ONG Oikos – Cooperação e Desenvolvimento que tem como principal missão apoiar pequenos e médios produtores/as agroalimentares – por um lado, alavancando as suas vendas através de uma plataforma online, por outro, criando relações de proximidade e transparência entre estes e os consumidores, sustentadas por uma forte rede de parceiros locais.

A plataforma de e-commerce do SmartFarmer dá aos consumidores acesso a uma rede de produtores a nível nacional e apresenta produtos de qualidade, diferenciados e sustentáveis que  beneficiam o ambiente e as pessoas.

Convidamo-lo a conhecer melhor o nosso projeto e a nossa Rede de produtores.